Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o blog da outra

o blog da outra

Novembro

Este foi dos melhores meses deste ano. Não se passou  nada de extraordionário, não. Apenas uma sensação de que estou a pacificar-me com a vida, com as coisas, a aceitar o que vem, a ter calma. Mesmo com as coisas chatas que teimam em acontecer.

Foi um mês em que me organizei mais um bocadinho (graças à minha experiência com o bullet journal) e já aproveitei para ir fazendo mais uns destralhamentos lá por casa.

- Continuei a prática de yoga (só falhei 1 dia);

- Arrumei a outra metade do roupeiro e tirei uma série de coisas que não uso. As que estavam boas, dei. As outras foram diretamente para o lixo; Comprei algumas peças para substituir as que estavam em pior estado. (aproveitei as prendas de aniversário que recebi para isso);

- A minha decisão de "resolver" a minha situação laboral avançou de facto. No prazo de dois/três meses penso que terá resultados (não podemos estar constantemente a queixar-nos e não fazer nada para mudar não é?);

- Fiz a experiência do bullet journal este mês. Percei que tenho de adaptar a minha vista semanal, vou testar já esta semana uma nova. Com o bullet voltei a achar piada ao desenho (e eu tenho zero jeito para desenho), a encontrar no bullet e nas listas uma atividade relaxante...Tanto me entusiasmei qeu desenhei as etiquetas das prendas de natal;

- Antecipei as prendas de natal (mais uma vez o bullet). Fiz uma lista, fiz umas pesquisas online e planeei. Fui às compras na black friday e poupei alguns euros com as compras que fiz. A esta altura do campeonato estou a 4 prendas do final das compras de natal;

- Passei mais tempo de qualidade em família. É necessário encontrarmos o equilíbrio para todas as coisas. Mas não o podia fazer sozinha;

- Tive umas despesas imprevistas, deixei passar a revisão do carro por uma porrada de kms e tive um eletrodoméstico avariado.

Sapos do Ano 2017

A iniciativa foi da super bem humorada Magda Pais, que perante o resultado (super previsível) dos Blogs do Ano 2017, teve a ideia de organizar um concurso espetacular para distinguir blogs do "bairro sapo.

Assim, e citando as regras:

"O Sapos do Ano 2017* terá  as seguintes categorias: Opinião, Humor, Livros, Moda, Poupar, Música, Fotografia, Comida, Família e Generalista.

E que blogs estão nomeados? bem, essa é a vossa tarefa. Por comentário a este post (no blog ou no facebook) ou por email para magda.pais@gmail.com digam-me quais os blogs que acham que devem ser nomeados. O prazo para esta fase termina a 25 de Novembro (véspera do meu aniversário, por isso podem já ir pensando na prenda que me querem dar).

Na semana a seguir direi aqui quem são os cinco nomeados em cada categoria e como se processará a fase seguinte.

E então, vamos lá dar a conhecer blogs anónimos?"

Eu vou já tratar de mandar mail à Magda com as minhas sugestões. Mandem também.

007A12615190482DB8C2AC34C51C9C28.jpg

Minimalismo "em miúdos"

Depois de falar sobre o minimalismo (Minimalismo my way), acho que vale a pena concretizar os aspetos práticos da coisa, ou de como o vou implementando na minha vida, e especialmente como comecei. 

Logo que comecei a investigar sobre o minimalismo, mais duas palavras/tarefas se impuseram: Organizar e "Destralhar". (A palavra destralhar não existe no dicionário, mas usa-se já de forma corrente e significa livrar-se de tralha).

Temos demasiadas coisas, mais do que aquilo que precisamos e na maior parte das vezes contunuamos a comprar e comprar. Com o passar do tempo, vai-nos faltando o espaço e procuramos ter mais móveis, mais espaço para arrumar, despensas e casas maiores e chegamos a ter coisas guardadas na nossa casa, na casa dos pais...tornamo-nos verdadeiros "acumuladores".

Pensamos sempre que precisamos de mais espaço, mas se pensássemos melhor, só precisamos de menos coisas.

Foi exatamente por aí que comecei. Percebi que tinha demasiadas coisas que não usava, e provavelmente nunca teria tempo de as usar todas...(chávenas, copos, toalhas, roupa de cama, cortinados, objetos de decoração, roupa, bijuterias, papéis ...).

Como o espaço era pouco e eu não queria continuar a sentir-me asfixiada com tanta tralha comecei  na minha missão de destralhar, sem ter definido propriamente um plano ou um prazo para competar a tarefa. Descobri que destralhar é uma atividade contínua...

Vou fazer um post para cada uma das zonas da casa com as coisas que fiz, as dificuldades e as "dicas" que usei. (O pinterest foi também uma fonte de ideias preciosa sobretudo com a forma de organizar e arrumar as coisas.)

Destralhar e Organizar a casa :

  1. Quarto
  2. Escritório/ Quarto de Criança
  3. WC's
  4. Cozinha
  5. Sala/Hall de entrada
  6. Despensa
  7. Arrecadação

 

Qual é o propósito?

Ter um blog. Escrever no blog. Ter seguidores. Chegar à página das leituras e querer ler o resto de um post, do qual apareceram as três primeiras linhas. Tentar abrir e dar com a informação "Página não encontrada".

Oh pá se querem ter o blog privado, ponham de uma vez. E não percebo aqui o sapo...se um post é privado também não há grande lógica que apareça na área de leituras, não é?

Minimalismo "my way"

A palavra está na moda. O movimento também. É minimalismo na arquitetura, no design, na decoração, no guarda roupa, na vida. Mas que coisa é esta de que toda a gente fala? É preciso ter uma casa branca e vazia? E o que é que isso traz mesmo de bom à pessoa? Mini quê?

Desde que me conheço que não gosto de tralha e sempre gostei de ter as minhas coisas arrumadas, minimamente organizadas no meu espaço, de preferência dentro dos móveis que tinha para esse efeito (basicamente os do meu quarto).

No tempo em que estudei fora sempre transportei todas as coisas que precisava para as férias dentro de uma só mala. Para mim era imprescindível que conseguir carregar as minhas coisas todas sozinha, porque não tinha sempre companhia que me pudesse ajudar, e como viajar implicava um avião, um autocarro e dois táxis, era mesmo conveniente reduzir a bagagem.

Conheci o minimalismo numa altura em que tinha bastante tempo disponível para ler e o primeiro lugar onde o encontrei foi no blog da Rita, o The busy woman and the stripy cat. Li-o de uma ponta à outra e fui pesquisando mais sobre o tema. Uma boa fonte de informação também foi o Becoming Minimalist.

É fácil perder-se no meio de tanta informação e tantos conceitos novos, mas não vale desesperar. Há várias versões de minimalismo, umas mais extremas que outras, diria mesmo que há tantos minimalismos quantos minimalistas.

O melhor é mesmo procurar as visões com as quais nos identificamos, e daí partirmos para aplicá-las na nossa vida. O resultado será o de uma vida mais simples, com menos coisas, mais organizada e com mais tempo para dedicar às coisas e pessoas que mais gostamos.

E num mundo em que somos sufocados com apelos para o consumo e vidas consumistas (supostamente perfeitas), passamos a vida a compararmo-nos com isso e é fácil achar que precisamos mesmo de muitas coisas para ser felizes...

Se, como eu se sentem deslocados desta visão do mundo, então provavelmente vão gostar do minimalismo. Menos tralha traz mais clareza mental. E afinal,  as coisas são só isso, coisas, e nunca devemos ser escravos delas.

 

Outubro

Não sei se foi por ser o mês n.º 10 e por estar a entrar em stress porque vai acabar o ano e não fiz nada do que queria ter feito, mas outubro rendeu mais do que eu esperava. Ou foi só porque me organizei (mais um bocadinho).

- Voltei à prática de yoga. Não é uma aula igual à que costumava fazer, não vou ter mais nenhuma igual. Mas gostei do efeito. Começo com 1x por semana (com o objetivo de passar a 2 em breve);

- Arrumei metade do roupeiro. A outra metade teve de ficar para uma próxima (preciso sossego...e o puto não me largava); Facilita muito mais na hora de escolher o que vestir. É mesmo impressionante a quantidade de roupa que tenho e não uso. Preciso comprar umas coisas também.

- Canalizei as minhas energias para destralhar. Uma gaveta de cada vez rumo ao objetivo: menos tralha, menos coisas para arrumar, mais espaço, mais clareza mental;

- Decidi fazer um bullet journal. Detesto agendas e acho esta uma forma melhor de me organizar. Vou testar nestes útimos dois meses com um caderno que tenho em uso, se correr bem compro um caderno novo para estrear em 2018;

- Tomei uma decisão que pode acabar com a minha precariedade laboral. Ao mesmo tempo novas possibilidades apareceram. Vejamos a concretização.

 

 

 

Não gosto de agendas

Nunca me entendi bem com agendas. Todos os anos tenho uma, que acaba por ser esquecida ao fim de dois ou três meses de uso. Acabo por ir anotando os compromissos na agenda do telemóvel, registando algumas coisas também nas notas, mas isto não satisfaz de todo as necessidades.

Há informação que gosto de ter escrita: sites, acessos, ideias, objetivos, registo de despesas, um sem fim de coisas que deviam estar todas concentradas no mesmo lugar. Nunca pensei muito em encontrar um sistema que achasse que podia funcionar, até que li com mais atenção uns posts sobre isso e acho mesmo que pode resultar.

Este blog (my bullet and me) e este (Beesy to easy) têm quanto a mim boas ideias.

Queria só saber, malta que lê isto, alguma dica preciosa?

Posso começar com o meus simples moleskiene pautado a ver no que dá? Dicas aceitam-se. 

 

 

 

 

Querem lá ver?

Para hoje destaco o blog da Cláudia, o queremlaver, sobre minimalismo (está na moda), organização e poupança. "Conheço" a Cláudia desde o seu antigo blog e fui acompanhando sempre a sua escrita de que gosto muito.

Ela tem vindo a transformar a sua vida: comprando menos, adquirindo hábitos de poupança, voltando a estudar, apreciando as coisas mais simples.

Identifico-me com esta forma de estar, por isso este blog é sem dúvida uma inspiração e um obrigatório na minha lista de leituras.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D