Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o blog da outra

o blog da outra

Qui | 23.02.17

O Regresso

Outra

Ele voltou. O meu livro. Aquele que enviei para a iniciativa do Livro Secreto (1.ª Edição).

A minha primeira sensação quando abri o livro foi de... desilusão. À medida que o folheava percebia que não havia quase nada sublinhado. Depois (lá mais para o fim do livro) fui encontrando alguns sublinhados. Fiquei a pensar...poucos gostaram da minha escolha.

Escolhi "As velas ardem até ao fim" de Sandór Marai. Primeiro por ser um livro pequeno, depois porque gostei da história e da escrita e depois porque o livro fala da amizade verdadeira, tema que me doeu (dói) muito nesta vida.

Nunca fui uma criatura "popular" no que a amizades diz respeito. Sempre precisei de aceitação, sou uma criatura (embora não parecendo)  insegura. O que (noto) ainda não deixei de ser, a avaliar pela minha reação quando vi que  o meu livro também não foi popular...

Mas depois parei para pensar. Em alguns dos livros que recebi não sublinhei nada. Das duas uma: porque não me disseram nada de extraordinário ou porque não os li. Quem os recebeu de volta pode ter sentido o mesmo que eu.

Portanto, não é nada de pessoal. É só um livro. E ele não me define enquanto pessoa.Nem tão pouco os livros (que não sublinhei e os que não li) definem quem os mandou.

Portanto, olhei de novo para o meu livro e para os sublinhados.  Senti gratidão. A quem o sublinhou, porque gostou, obrigada. Se calhar temos gostos semelhantes. A quem não o sublinhou, porque não leu ou não gostou, obrigada também. Porque me permitiram parar e perceber que isto do livro me diz mais sobre quem sou (e do que preciso ainda ultrapassar) do que esperava. E isso só pode ser bom.

Obrigada!

 

 

Seg | 20.02.17

dai-me paciência...

Outra

Coisinha para me tirar do sério (assim a ponto de me fazer ficar a ferver) é alguém com zero iniciativa e zero proatividade ter a lata de corrigir uma vogal (que estava errada porque não foi bem copiada, bem entendido) a quem teve a iniciativa e a proatividade de criar um documento que serve o proativo e o não proativo. Principalemente depois de o documento circular por mais de um mês e ter passado por todos os que poderiam dar inputs ao memso.

Não compreendo esta mania de "se armar" em professor, ou chefe (que não é), ou só mete-nojo (que é). É que me cai mesmo mal. Fico passada.

Sex | 17.02.17

Lady Gaffe

Outra

Hoje o meu destaque vai para a ímpar Gaffe. Uma lady. Reconheço em poucas avenidas a mestria da sua escrita. Ela é tão inteligente que às vezes confesso que a minha capacidade (limitada) não acompanha os seus (brilhantes) raciocínios. Tem um sentido de humor acutilante, e ainda consegue escolher belíssimas fotos para ilustrar os seus escritos.

Aprendo com, e sobretudo admiro quem sabe escrever assim.

Qui | 16.02.17

neurose capilar

Outra

Acordei, tomei banho, vesti-me e por último o cabelo. nunca lhe dediquei muito tempo. É (ou era, já lá vamos) liso. Lavo e seco e às vezes passo-lhe a prancha (gosto dele sem volume). Uso risca ao meio. De manhã (nos dias que não o lavo) é só pentear...

Sucede que hoje é (ou deveria ser) desses dias. Só que me apercebo que logo a seguir à raíz , num dos lados o cabelo está com um jeito estranho, a fazer assim uma onda...e por mais que o penteasse a onda não desaparece...Vi por momentos o cabelo da minha avó. Com uma onda de cada lado abaixo do risco no cabelo. Só que o dela era penteado com brilhantina...(alguém ainda se lembra que isto se usava sequer?).

Resultado: apanhei o cabelo num rabo de cavalo (que é coisa que nem gosto muito de usar- tenho sempre frio nas orelhas) e vim embora fula da vida. E estou de mau humor.

Qua | 15.02.17

gerir tempo com tomate?

Outra

Alguém conhece a técnica pomodoro para produtividade? Basicamente trabalha-se em blocos de 30 minutos e faz-se intervalos curtos de 5 minutos entre cada período de trabalho. Ao fim de 4 pomodoros de 25 minutos há uma pausa maior (15 minutos).

Já tenho vindo a usar esta ferramenta mas estou num ponto em que preciso mesmo maximizar o tempo que é curto (tenho muitas tarefas). Alguém tem outras técnicas  para partilhar?

Seg | 13.02.17

O muro

Outra

O "muro" é um lugar confortável. Posicionando-se estrategicamente lá em cima fica-se com uma excelente perspetiva (e paisagem). Consegue-se ver o nosso quintal e o quintal do vizinho, cobiçar o que está ao lado ("The grass is always greener on the other side") e vigiar o nosso.

Conseguimos ainda estar numa posição privilegiada para avançar e defender o nosso quintal se este for atacado. Mas se a ameaça ao nosso quintal for muito perigosa temos sempre a opção de saltar para o quintal do vizinho e salvarmos a nossa pele. Por isso é tão confortável estar em cima do muro.

Mas estar em cima do muro não é postura de quem tem que gerir pessoas, equipas. Porque aí, estar em cima do muro é só ser muito cobardolas e não assumir o papel de líder. De gerir, orientar, corrigir, mas também de defender o sua equipa contra as ameaças. As mais e as menos perigosas.  Não pode ser querer ficar bem na fotografia, para fora, deixando a sua equipa apanhar com as consequências da sua falta de frontalidade, que não é mais que falta de caráter.

 

Qui | 09.02.17

Ter menos

Outra

...

Experimenta(ou tem o azar) de ficar desempregado, sem carro, sem seguro de saúde.

...

Depois procura (sem conseguir encontrar) emprego numa terra em que esse bem escasseia.

...

Depois faz um programa ocupacional (a ganhar o teu subsídio e portanto a trabalhar verdadeiramente de graça).

...

Arranja (e agradece aos santos todos e à amiga que te indicou para a entrevista) um trabalho a "recibo verde".

...

Passa a descontar uma batelada de irs, paga outra de iva. Não recebes subsidios e não tens direito a férias.

...

Enlouquece e engravida. acrescenta um filho à equação. Creche, Médico, farmácia, fraldas...

...

Faz as contas e vê o que sobra.

Aí aprendes a dar valor ao que tinhas, ao que realmente precisas e passas a equacionar todas as tuas escolhas. 

Sex | 03.02.17

Follow Friday

Outra

Hoje destaco o blog  E Agora, sei lá? da M.J.

É já uma paixão antiga. Gosto da forma crua como escreve, do humor inteligente e das banalidades (que nunca o são). Traduz sentimentos (difíceis) em palavras com mestria. Às vezes irrita-me a sua teimosia (se calhar por também o ser às vezes). É das pessoas (personagens?) que ou se gosta ou se detesta. Eu gosto. Muito.

Qui | 02.02.17

Sabes que és mãe #5

Outra

Quando o teu despertador passa a ser "mãeeee, mãeeee" e não a música que escolheste;

 

Quando o teu despertador é uma mão pequenina a tocar-te na cara acompanhada do sonoro "Mãeeeee, mãe....,leiteeee!

 

Quando ainda que já tenhas despertado, ficas na cama a tentar dormir só mais 5 minutos e és obrigada a abrir os olhos depois de ouvires um som estranho (pohhhhhhhhhhh) acompanhado de um ligeiro perfume e percebes que o puto acabou de dar cabo de um frasco de pó talco no chão, mesmo do teu lado da cama!!!  

 

To be continued...